Quanto eu devo?

Como as pequenas empresas podem controlar suas finanças.


Quanto eu devo? Esta é uma pergunta bastante comum no comércio, principalmente em pequenos estabelecimentos, acostumados a realizar as vendas em carteira (o famoso fiado).

Porém a resposta nem sempre é tão simples para o estabelecimento. Isso porque muitos utilizam ainda a também famosa caderneta, onde se registram as vendas em papel, no caderninho, o que torna necessário pesquisar e somar manualmente a conta de cada freguês.

Aos poucos, lojas, mercearias, açougues, oficinas, entre outros comércios estão aderindo à tecnologia e resolvendo esta situação, pois os fornecedores de sistemas comerciais, percebendo a necessidade, estão adequando suas soluções ao cenário dos pequenos comércios. Com opções e preços compatíveis (que cabem no bolso do micro ou pequeno empresário), as software houses (desenvolvedoras de sistemas) fornecem soluções capazes de controlar as operações das empresas, tais como compras, vendas, estoques, ordens de serviço, além de seus vencimentos, por meio de módulos de contas a pagar, contas a receber e até integrações com bancos, gerando boletos e baixando recebimentos automaticamente.


Mas qual sistema devo adquirir?

Cada empresa, de acordo com suas necessidades, deve verificar o sistema que melhor a atende, mas de maneira geral o sistema eleito deve ser capaz de atender ao menos as necessidades básicas, como emissão dos documentos fiscais (Nota Fiscal, Cupom Fiscal, etc). Porém, sistemas que agreguem recursos específicos sobre cada ramo tem seu destaque.

Diferenciais como grades em cadastro de produtos, para diferenciação de cores e tamanhos, que permitem o controle destas especificações na hora da venda e no controle do estoque, cadastro de veículos com quilometragem para controle de serviços em oficinas, especificação de graus oculares em ordem de serviço para óticas, e registro personalizado de clientes (com data de aniversário, preferências, etc) para abordagens especiais, por exemplo, são recursos que podem contribuir a um melhor controle na empresa além de atrair clientes.

Resta ao empresário buscar conhecer estes sistemas que muitas vezes fornecem versões de demonstração, facilitando a compreensão sobre os recursos oferecidos e a aderência ao perfil da empresa.

  • 22/01/2016
  • Carlos Alexandre Messa
  • Matéria publicada na edição 1258 do Jornal ET205
<< Voltar
Recentes